Um sistema elétrico à prova de falhas

Evitar interrupções no fornecimento em um sistema elétrico tão extenso e complexo como o do Brasil é um desafio. A resposta: soluções inteligentes que o controlam e interligam, desde a geração até os grandes centros consumidores.  

Inteligência no sistema interligado

Impulsionando a economia com energia confiável

 

O Operador Nacional do Sistema (ONS) estava diante de uma necessidade imperativa: ampliar o grau de segurança do sistema elétrico brasileiro, para acompanhar o ritmo do crescimento econômico e evitar falhas de abastecimento. Os desafios eram vários: as dimensões continentais do Brasil, as variações no consumo de uma região para a outra e a distância dos grandes centros urbanos dos principais polos geradores.

Riscos menores, gestão aperfeiçoada

O caminho para vencer o desafio foi a criação da Rede de Gerenciamento de Energia (REGER). O conceito por trás do projeto REGER é uma plataforma unificada, moderna e dinâmica, estruturada sobre um sistema computacional de supervisão e controle que integra os quatro centros de operação regional e o centro nacional do ONS, permitindo aumento de eficiência na gestão e maior segurança no sistema. A plataforma unificada possibilita que o operador “enxergue”, em tempo real, a dinâmica do consumo, ajustando a geração e a transmissão para o fornecimento seguro de energia.

 

O desenvolvimento desta plataforma representa um importante salto de qualidade na operação dos sistemas de geração e transmissão de energia, mitigando riscos de interrupção no fornecimento, trazendo mais confiabilidade e se tornando um modelo de operação para o mundo.

Há também outro benefício tão importante quanto a redução de riscos de interrupções de abastecimento: integrando o centro nacional e os quatro centros de operação regionais do ONS, o sistema REGER oferece um abrangente compartilhamento e redundância dos dados, garantindo contínua capacidade de supervisão e controle. E essa condição é assegurada mesmo em situações extremas, como a perda de um centro de operações. Na prática, isso permite tomadas de decisão mais ágeis, maior confiabilidade e redução dos riscos de desabastecimento no sistema de transmissão.

 

Recentemente, a arquitetura computacional do REGER, que promove a integração aprimorada da atuação dos diversos centros de controle, passou por uma grande atualização: todos os recursos de hardware, sejam de processamento, armazenamento ou rede, passam a ser totalmente virtualizados. O desenvolvimento desta plataforma hiperconvergente contribuirá para a redução de custos operacionais, maior flexibilidade na alocação de recursos, aumento da disponibilidade e melhor gestão dos ativos computacionais. 

A adoção desta tecnologia é mais um avanço do setor elétrico brasileiro rumo à digitalização, colocando o REGER na vanguarda dos sistemas de supervisão e controle em todo o mundo. 

Operador Nacional do Sistema

Sistema de supervisão e controle (SCADA – Siemens), integrando os quatro centros regionais do Operador Nacional do Sistema e o centro nacional.

Centros Regionais Integrados

Recife

Brasília

Rio de Janeiro

Florianópolis