Edifícios inteligentes capacitam empresas enquanto imaginamos um mundo após o lockdown

Tradicionalmente, edifícios inteligentes ajudam a promover o bem-estar e a produtividade de seus ocupantes, além de ajudar empresas e proprietários de edifícios a aumentar a eficiência de custos na gestão de instalações. Em emergências, esses edifícios inteligentes podem aumentar a proteção contra incêndio. Hoje, na era da COVID-19, suas capacidades têm um papel crítico a desempenhar no novo mundo do distanciamento social e da mitigação de infecções.

Quando começamos a imaginar como será o mundo do trabalho pós-crise, existem quatro maneiras pelas quais edifícios inteligentes podem ajudar

Gestão e manutenção remota de instalações

Com muitos colaboradores em todo o mundo obedecendo às regras do trabalho em casa, a maioria dos edifícios de escritórios hoje está praticamente vazia. Mas eles ainda precisam ser mantidos. A conectividade de rede permite que os provedores de serviços monitorem, operem e solucionem problemas de edifícios de escritórios remotamente, em tempo real. As configurações de HVAC e iluminação podem ser ajustadas remotamente para economizar energia e reduzir custos, tanto quanto possível.

 

A conectividade remota também reduz a necessidade de visitas físicas, pois as decisões de manutenção corretiva podem ser tomadas sem a entrada no edifício. Com as medidas de gestão de segurança digital, os provedores de serviços podem monitorar edifícios para garantir que invasores ou colaboradores não obtenham acesso inadequado.

Monitorando e mantendo o distanciamento social

Eventualmente, no entanto, retornaremos ao escritório, embora com inúmeras alterações e restrições, pelo menos no curto prazo. Edifícios inteligentes podem desempenhar um papel central na implementação de requisitos de distanciamento social.

 

Os aplicativos no local de trabalho são uma maneira fluida de informar os colaboradores sobre os novos procedimentos de segurança em cada local, ajudando-os a encontrar espaços de trabalho seguros ou a navegar por rotas com menos pessoas.

 

Sensores baseados em imagem e tecnologias sem fio, como Bluetooth e Wi-Fi, podem ser combinados com a análise do local de trabalho para monitorar os espaços, a fim de garantir que os limites de densidade predefinidos sejam mantidos. Os sistemas de controle de acesso podem regular o número de pessoas que entram e saem de espaços. Eles podem controlar o volume do fluxo modificando os tempos de controle de acesso em portas e catracas para garantir um espaçamento seguro entre as pessoas que entram em uma área.

 

Os sistemas de posicionamento combinados à analítica podem ser usados para segmentar os escritórios, para garantir que os colaboradores estejam preenchendo os espaços uniformemente e dentro dos limites de densidade definidos. Além disso, essas análises podem ser usadas para fornecer notificações por push em tempo real aos colaboradores do escritório, informando-os do risco de exceder os limites estabelecidos no número de pessoas em um determinado espaço e podem ajudar os colaboradores na escolha de locais em áreas menos movimentadas.

 

A análise também pode informar a frequência da limpeza e esterilização de áreas comuns, salas de reunião e espaços de trabalho e determinar o número de ações de limpeza direcionadas necessárias. Combinada com análises avançadas de manutenção preditiva, agendas de manutenção inteiras podem ser transformadas para atender aos requisitos sob demanda.

Nova infraestrutura de escritório

Nova infraestrutura e equipamentos de escritório podem ser integrados em edifícios inteligentes. Câmeras de detecção de febre já estão sendo usadas em aeroportos e outras instalações. Elas podem se tornar parte da infraestrutura padrão do escritório e ajudar a reforçar a conscientização de que ninguém deve trabalhar quando estiver doente.

 

A infecção também pode ser atenuada por meio de recursos de edifícios inteligentes sem toque, como portas automáticas, controle de acesso de telefones celulares, elevadores que podem ser ativados por telefone ou voz e controle de ambientes de salas de telefones celulares. Além disso, os níveis de fluxo de ar e umidade podem ser definidos via sistemas HVAC para níveis que apoiam a mitigação de infecções.

Alterando o espaço de trabalho

Mesmo com todas essas inovações, há poucas dúvidas de que as taxas de ocupação de escritórios mudarão, assim como a maneira como o espaço é usado no mundo pós-crise. Como o trabalho remoto provavelmente continuará sendo um dos principais dispositivos de mitigação de infecções, as empresas certamente descobrirão que não precisam de tanto espaço quanto antes. Edifícios inteligentes podem ajudar as organizações a usar dados para reorganizar e racionalizar seu espaço de escritório alugado. A análise do local de trabalho sobre a utilização do espaço pode fornecer os dados necessários para que os gerentes imobiliários determinem qual será a nova norma e quanto espaço poderá ser reduzido.

 

A capacidade dos edifícios inteligentes de ajudar as organizações a responder à pandemia de COVID-19 exemplifica como a infraestrutura digital pode ajudar em todos os tipos de crises. Fundamentalmente, isso nos ajuda a gerenciar as inevitáveis reviravoltas inesperadas que encontraremos ao longo de nossa recuperação dessa pandemia.

Escrito por Elisa Roenkae

Assine a nossa newsletter

Mantenha-se atualizado o tempo todo: tudo o que você precisa saber sobre eletrificação, automação e digitalização.