Hotel Sustentável: cinco estrelas pelas sustentabilidade

Há quase dez anos, o primeiro hotel urbano do mundo com um saldo zero de energia foi inaugurado em Viena e, ainda hoje, está definindo o padrão. Não apenas os sistemas técnicos continuaram a funcionar, mas também o proprietário, como sempre, continua comprometido.

Visto da estrada, o edifício de seis andares parece banal. Isso o torna ainda mais surpreendente, quando você entra em seu pátio interno. Há rosas e lavandas, que florescem no telhado plano, e plantas trepadeiras que sobem pela fachada, cujo caminho é rompido apenas por coletores solares reluzentes de cor azul-acinzentada. Todos podem ver que o Boutique Hotel Stadthalle, no 15º distrito de Viena, possui um coração verde. O que os visitantes não podem ver é a complexa tecnologia de controle do edifício, que são as batidas de seu coração — e transformaram as instalações de três estrelas no primeiro hotel urbano do mundo capaz de demonstrar um balanço energético zero.

 

A história começou em 2007, quando Michaela Reitterer, proprietária e gerente, decidiu investir sua energia na reforma e na ampliação do então hotel de 140 anos. Ela havia comprado, alguns anos antes, o negócio da família de seus pais. Sua expansão planejada quase dobraria sua capacidade, de 42 para 80 quartos. E em termos de suas necessidades energéticas, estabeleceria novos padrões. O objetivo era criar um edifício que gerasse toda a energia necessária por si só.

A tecnologia de controle de edifícios desempenha um papel fundamental

O projeto envolveu quase toda a tecnologia que estava disponível na época para a construção com eficiência energética. A eletricidade vem de um sistema fotovoltaico de 94 metros quadrados. Os coletores solares térmicos, que cobrem outros 130 metros quadrados, garantem o calor e o suprimento de água quente. O edifício também utiliza uma bomba de aquecimento água-água, porque a usina de energia solar nem sempre fornece energia suficiente.

 

“Há três grandes cisternas na adega”, diz Reitterer. Elas são preenchidas com água subterrânea de um poço na propriedade. A água é, então, aquecida por meio da usina solar e da bomba de aquecimento. A energia é utilizada para os trocadores de placas, que aquecem a água fresca, conforme necessário, de modo a fornecer água quente para as torneiras e chuveiros do hotel sutentável.

 

Instrumentação e controle exercem um papel fundamental: No coração do sistema está o sistema de automação predial Desigo da Siemens, que garante que os componentes trabalhem juntos de forma integrada e que os hóspedes se sintam confortáveis o tempo todo.

O primeiro hotel em Viena projetado como um edifício passivo

Além dos sistemas de geração de energia, é necessário um bom isolamento térmico para alcançar um equilíbrio energético zero. “Nosso ramal atende ao padrão de construção passiva”, diz Reitterer. Isto inclui, por exemplo, janelas com vidros triplos e ventilação de sala controlada com recuperação de calor.

 

O trabalho de reforma do edifício existente não foi tão longe. “Seria exorbitante”, explica Reitterer. Mas mesmo assim, o venerável edifício original ainda desempenha um papel importante na estratégia mundial de energia, fornecendo energia adicional à nova parte do hotel nos períodos de pico de carga.

 

Embora a usina solar e a bomba de aquecimento cubram as necessidades do ramal ao longo do ano, um gargalo ocasional ainda ocorre: “Por exemplo, se um grande número de hóspedes desejar tomar um banho quente ao mesmo tempo, em um domingo de manhã no inverno”, diz Reitterer. “Neste caso, o sistema de automação predial atrai automaticamente o aquecimento urbano do edifício original.” A eletricidade também pode ser retirada do edifício antigo, se necessário. E, em troca, o novo edifício fornece água quente para a parte antiga.

 

 

Nem sempre é fácil manter um equilíbrio entre conforto e meio ambiente. Reitterer lembra que isto ficou evidente durante os estágios de planejamento. “Se tivéssemos concordado com o que os engenheiros desejavam, não teríamos conseguido abrir as janelas agora. A arte está na combinação de tecnologia sofisticada e um fator de conforto máximo para os hóspedes.”

O sistema compensa

Dez anos é muito tempo quando se trata de desenvolvimento tecnológico: Em 2008, apenas a ideia de usar LEDs para todo o sistema de iluminação do hotel foi suficiente para causar uma agitação; porém, agora, ela se tornou a norma. “Comparado com o que é possível agora, estávamos na Idade da Pedra naquela época”, lembra Reitterer. E ela está mais orgulhosa do fato de que a solução para a qual optou na época ainda funciona perfeitamente. “Para mim, isso também é uma espécie de sustentabilidade”.

 

Os números também falam por si mesmos: Enquanto os custos de energia compõem de cinco a seis por cento do total de gastos para os outros hotéis da cidade, para as atividades de Reitterer eles variam de dois a 2,4 por cento. “Meus colegas ficam verdes de inveja”, diz ela.

 

A tecnologia instalada pode ter permanecido essencialmente a mesma, mas o próprio hotel continuou a se desenvolver. “Estamos constantemente à procura de novas oportunidades para reduzir ainda mais a nossa pegada ambiental”, diz Reitterer. Por exemplo, ela introduziu um desconto para os hóspedes que chegam de transportes públicos, em vez de carro. E o bufê do café da manhã agora consiste inteiramente em produtos orgânicos regionais.

 

O compromisso de Reitterer atraiu muita atenção para o hotel, desde que ele foi inaugurado. Ele figura em relatórios em toda a região de língua alemã e, ainda hoje, é elogiado. Também ganhou vários prêmios, incluindo o Prêmio Nacional Austríaco de Turismo, o Prêmio Ambiental da Cidade de Viena e o prestigioso Prêmio de Proteção ao Clima, um prêmio público oferecido pela Austrian Broadcasting Corporation.

Hóspedes muito felizes

No entanto, mais importante do que qualquer prêmio, é a satisfação dos hóspedes. E ela é alta, tomando por base as excelentes avaliações que os negócios de Reitterer recebem em plataformas como o TripAdvisor. Os comentários mais recentes que os clientes têm postado também não deixam dúvidas: “Eles de fato parecem se esforçar seriamente em oferecer alimentos de qualidade e sustentabilidade energética”, escreveu um hóspede. Diz outro: “O hotel e sua ‘estratégia verde’ continua sendo vencedor”. Claramente, o investimento em um edifício sustentável compensa não apenas na parte financeira, mas também para um sucesso duradouro.

A Siemens acredita firmemente que os edifícios sustentáveis são lucrativos. Não apenas os hotéis: Nós gastamos aproximadamente 90% de nossas vidas em edifícios e eles têm um enorme impacto na maneira como os usuários se sentem. É por isso que a Siemens pretende transformar edifícios em lugares perfeitos

  • Sistema fotovoltaico de 94 m²
  • Sistema de aquecimento solar de 130 m²
  • Ativação do núcleo de concreto
  • Sistema de automação predial Desigo com  

    - controladores PXC

    - operação pela Web

 

Fotos de: Boutique Hotel Stadthalle

Quer saber mais?

Fique atualizado o tempo todo: tudo o que você precisa sobre transição energética, automação e digitalização! 

Receba nossa Newsletter com as principais notícias.

Inscreva-se agora!