Rumo à era da mobilidade elétrica

Siemens e Volkswagen testam novos conceitos de mobilidade em Ruanda.

Carros elétricos e compartilhamento de carros em vez de carros particulares, movidos a combustão: A iniciativa Moving Rwanda está testando novos conceitos de mobilidade em Kigali que podem virar moda em outras cidades africanas. A Siemens está fornecendo a infraestrutura de carregamento. 

Kigali está crescendo. A capital ruandesa já abriga mais de 1,1 milhão de pessoas, e a grande área metropolitana terá 4,5 milhões de habitantes até o ano 2050. Mas a infraestrutura da cidade já está atingindo seus limites. A hora do rush congestiona as ruas e se tornou um verdadeiro teste da paciência dos passageiros e motoristas. A maior cidade de Ruanda não está sozinha. Populações e megacidades em toda a África estão aumentando. A capital da Nigéria, Lagos, já tem cerca de 23 milhões de habitantes, número que deve crescer para mais de 32 milhões até 2050. Ela pode se tornar a maior cidade do mundo – com 88 milhões de habitantes – até o ano 2100.

Engarrafamentos custam tempo e dinheiro

Esse crescimento explosivo da população está criando problemas em todo o continente africano. Os congestionamentos diários custam tempo e dinheiro, e a má qualidade do ar ameaça a saúde humana. São necessárias soluções de mobilidade limpa: soluções como o Moving Rwanda, um projeto de mobilidade digital que é uma colaboração entre a Siemens, o Ministério Federal de Cooperação e Desenvolvimento Econômico da Alemanha, a agência de desenvolvimento alemã GIZ, a Volkswagen, a SAP e a empresa de engenharia Inros Lackner. As partes concordaram em trabalhar juntas para desenvolver soluções de mobilidade digital para Ruanda que contribuirão para o desenvolvimento sustentável do país.

Em um projeto piloto, a Siemens e a VW exploram o potencial da mobilidade eletrônica para ajudar a transformar a maneira como as pessoas viajam pelas cidades da África. Até 50 VW Golfs elétricos serão enviados para Kigali para o projeto. Eles complementam a frota de cerca de 200 veículos movidos a gasolina que a Volkswagen Mobility Solutions Ruanda já ofereceu para serviços de compartilhamento de carros e de carona na capital ruandesa. Os carros podem ser reservados através de um aplicativo móvel chamado Move, desenvolvido pela startup local Awesomity.

eMobility charging station

Adoção de Veículos Elétricos e o carregamento Público

A mobilidade elétrica é um território desafiador para todo o ecossistema. A revista 'Transmission & Distribution World' e a Siemens uniram forças e montaram um documento a partir do qual você aprenderá para onde o mercado de veículos elétricos está indo, objetivos essenciais e como chegar lá.

 

Incentivar outras cidades

Serviços de mobilidade como o Move são especialmente úteis em Kigali e em outras grandes cidades, porque cerca de três quartos dos africanos têm telefone celular, mas apenas quatro por cento possuem carro. O compartilhamento de carros e caronas podem ajudar as cidades da África a ultrapassar a era da propriedade de carros particulares (movidos a combustão) para um local onde prevalecem os serviços de mobilidade eletrônica. O projeto piloto Moving Ruanda tem como objetivo incentivar outras cidades a iniciar testes semelhantes. “Conceitos modernos de mobilidade como esse podem mostrar o futuro para toda a África”, diz o ministro federal do Desenvolvimento da Alemanha, Gerd Müller.

Este projeto de mobilidade eletrônica levou as cidades africanas como locais-chave a adotar modelos de transporte inovadores.
Sabine Dall'Omo, CEO da Siemens África Austral e Oriental

A Siemens está contribuindo com cinco estações de carregamento de veículos elétricos para o programa piloto em Kigali, cada uma composta por dois carregadores CA de 22 kW e um carregador CC de 50 kW para carregamento rápido. A primeira estação já está em vigor na instalação da VW em Kigali. As outras quatro serão instaladas em locais estrategicamente importantes, como o aeroporto e o centro de conferências da cidade. Na primeira fase do projeto, os parceiros desejam coletar informações importantes sobre a recepção de veículos elétricos e sobre os hábitos de cobrança dos usuários. Mais tarde, eles planejam abrir as estações de carregamento para outros usuários, como empresas, operadores de frotas e proprietários de veículos particulares.

Ruanda deseja explorar novas formas de mobilidade

Kigali é uma excelente opção para testar a mobilidade eletrônica. A cidade é grande o suficiente para um teste em condições realistas, mas não grande demais para uma pequena frota de veículos. “Além disso, o fornecimento de energia da cidade é um dos mais confiáveis da África e é amplamente baseado em fontes renováveis, como a hidrelétrica”, disse Marco Rahner, responsável por trazer novas tecnologias da Siemens para o mercado africano. “A rede sem fio também é muito boa e estável.” E, finalmente, a situação política também é favorável: O presidente do Ruanda, Paul Kagame, apoia novas formas de mobilidade, como carros elétricos, e o país é politicamente estável, com forte crescimento econômico consistente.

 

O interesse pela mobilidade eletrônica também está crescendo em outras partes do continente. “Este projeto de mobilidade eletrônica levou as cidades africanas como locais-chave a adotar modelos de transporte inovadores”, disse Sabine Dall'Omo, CEO da Siemens na África Austral e Oriental. “Desde o lançamento, recebemos grande interesse em nossas soluções de cobrança, principalmente nas regiões da África Oriental e Ocidental e estamos pensando em lançar projetos semelhantes em outros países”. 

A população africana deverá dobrar para cerca de 2,5 bilhões de pessoas até 2050. Para garantir que os jovens do continente tenham boas perspectivas para o futuro e boas perspectivas para permanecer na África, cerca de 20 milhões de novos empregos teriam que ser criados lá todos os anos. Moving Rwanda quer ajudar a criar esses empregos. “Queremos oferecer oportunidades de treinamento modernas para jovens em Ruanda”, explicou o ministro do Desenvolvimento, Gerd Müller. “Ao fazer isso, estamos dando a eles um futuro em seu país de origem como mecânicos que mantêm as frotas de veículos ou como desenvolvedores de software. É outra maneira concreta de implementarmos nosso ‘Marshall Plan with Africa’.”

 

 

 

Juntamente com a Volkswagen e a GIZ, queremos estabelecer um treinamento de qualidade que leve a fortes oportunidades de emprego.
Christian Hagemann, Siemens Government Affairs

A Siemens e a Volkswagen desejam criar oportunidades de treinamento vocacional em Ruanda para cobrir a crescente necessidade de pessoas com conhecimento técnico em veículos eletrônicos e na infraestrutura de cobrança. “É necessário técnicos em mecatrônica e técnicos de média e alta tensão”, explicou Christian Hagemann, da Siemens Government Affairs. O tópico já foi discutido em oficinas conjuntas com a Volkswagen e outras empresas, e a Siemens pretende desenvolver os primeiros programas de treinamento modular em um futuro próximo. “Juntamente com a Volkswagen e a GIZ, queremos estabelecer um treinamento de qualidade que leve a fortes oportunidades de emprego,” disse Hagemann.

Autor: Christian Buck

Fotos: Siemens AG

25/05/2020

Assine a nossa newsletter

Mantenha-se atualizado o tempo todo: tudo o que você precisa saber sobre eletrificação, automação e digitalização.