Industrial Edge: o mix de tecnologia ideal    

O avanço da digitalização está trazendo inúmeros benefícios para os negócios e para a sociedade, mas ao mesmo tempo está apresentando novos desafios para lidar com os enormes volumes de dados gerados. Ao processar esses dados, a edge computing oferece enormes vantagens aos fabricantes e está evoluindo como uma tecnologia do futuro, a industrial edge.

Basicamente, Edge Computing significa processamento descentralizado de dados na borda da rede. Embora o termo "edge" esteja sendo cada vez mais utilizado no contexto da produção industrial nos dias de hoje, muitas empresas ainda não sabem como podem explorar plenamente seu potencial com a tecnologia. Alguns podem até não saber o que a palavra significa.  

Desafio 4.0

A aceleração da digitalização e a indústria 4.0 relacionadas estão afetando nossas vidas privadas, mas tendo um impacto ainda maior nas empresas. Isso apresenta desafios para a indústria de transformação, como ciclos de inovação cada vez mais curtos e a crescente individualidade dos produtos e processos produtivos. Para dominar esses desafios e se manter competitivas, as empresas devem ser capazes de reagir da forma mais flexível possível às mudanças. A produção totalmente em rede e o processamento rápido dos dados gerados são essenciais aqui – e é aí que a Edge Computing entra em jogo.

 

Seja manuseando dados localmente, centralmente ou via internet, cada empresa tem sua própria estratégia de registro e processamento de dados de produção, a fim de melhorar os processos. Deve-se ter em mente, no entanto, que os volumes de dados na produção industrial são enormes. Milhares de bits de informação são gerados a cada segundo em uma planta de produção: Um grande número de sensores medem continuamente os principais parâmetros de produção, como a condição das máquinas e a qualidade da produção. Quanto mais extensamente uma planta é em rede, maior o volume de dados gerados, seja em um determinado local ou em todo o mundo. 

O melhor dos dois mundos

Empresas que dependem do processamento de dados locais logo atingem seus limites. Isso é por causa dos inúmeros sistemas diferentes que são difíceis de harmonizar, mas também porque eles não têm a capacidade de computação para processar dados no local, e o processamento global em toda a empresa não é possível. Mas a alternativa da computação em nuvem também atinge seus limites em aplicações específicas, devido, em parte, a volumes maciços de dados, regulamentos legais ou latências. A dificuldade aqui reside principalmente na necessidade de processamento em tempo real, já que cada segundo conta com o piso de produção. As transferências de dados para e para a nuvem podem não ser rápidas o suficiente. Além disso, o envio de grandes volumes de dados para a nuvem para processamento requer uma alta largura de banda – uma questão cara, especialmente para empresas menores.

 

Uma combinação de processamento de dados local diretamente na produção, até o nível de automação, e processamento na nuvem pode ser a solução ideal aqui – e abrir um enorme potencial para a indústria – especialmente na área de manufatura inteligente. Essa combinação dá aos fabricantes a oportunidade de aproveitar ao máximo a nuvem, enquanto ainda atendem às demandas do mercado para máxima flexibilidade e responsividade. Quando grandes quantidades de dados são processadas por edge computing, os custos de armazenamento e transmissão de uma empresa são reduzidos – uma vez que apenas dados relevantes são transferidos para uma infraestrutura de nuvem ou TI.

Não há razão para hesitar.

Alguns fabricantes podem ter preocupações de que a Edge Computing só seja possível com investimentos caros em novos sistemas de automação. Mas a tecnologia deve de fato ser vista como um suplemento aos equipamentos existentes. Com o Industrial Edge da Siemens, os dispositivos de processamento de dados de borda podem simplesmente ser conectados a sistemas de automação existentes, totalmente integrados com eles ou entregues com os próprios sistemas como um componente padrão. Como resultado dessa flexibilidade, os custos de implementação não devem mais ser um problema, nem mesmo para as OMS. Além disso, a tecnologia de borda também melhora os sistemas de automação adicionando capacidade de análise de dados e outros recursos para aproveitar ao máximo o IIot e, ao mesmo tempo, aumentar a flexibilidade e eficiência da produção. Ao usar um docker padrão de software, a Siemens conta com a escalabilidade independente da plataforma de aplicativos e, portanto, garante a máxima flexibilidade e à prova de futuro.

 

A edge, bem como a computação em nuvem estão se tornando cada vez mais importantes para um número crescente de indústrias de processamento. A estratégia mais sensata, então, é utilizar o melhor de ambas as tecnologias, uma vez que elas se complementam de forma ideal. Combinando ambas as tecnologias, os dados processados por edge computing podem ser usados na nuvem para treinar algoritmos de IA. Os resultados resultantes podem então ser baixados de volta para a infraestrutura de borda, possibilitando uma otimização contínua de todo o processo de fabricação.

Fabricação inteligente:

 

A fabricação inteligente não significa simplesmente coletar grandes quantidades de dados com a ajuda de sensores. Muito mais decisivo é a capacidade de usar esses dados para gerar automaticamente informações que ajudem a melhorar os resultados da produção. Isso, por sua vez, depende, em grande medida, das altas capacidades computacionais e de processamento localizadas tanto em um local central (nuvem) quanto na periferia (borda).

Computação em nuvem: 

 

Os serviços em nuvem, sem dúvida, oferecem enormes benefícios. Ao analisar dados em nuvem, novos insights sobre um processo de produção ou máquina podem ser adquiridos, levando a maior eficiência e disponibilidade. Transferir todos os dados para dentro e para fora da nuvem, no entanto, é demorado e, em alguns casos, não é prático, já que cada segundo e minuto conta com o chão de fábrica. Os fabricantes devem ter a capacidade de analisar e utilizar dados de forma rápida e segura para melhorar seus resultados de produção. 

Industrial Edge:

 

Com a Industrial Edge, a Siemens oferece uma solução para edge computing que inclui o hardware e software necessários. Os dispositivos edge permitem que os fabricantes processem localmente seus dados de produção. Este sistema pode monitorar todos os dispositivos conectados, instalar e atualizar aplicativos e software, e transferir funções da nuvem para o sistema de fabricação local.   

Assine nossa Newsletter

Mantenha-se atualizado o tempo todo: tudo o que você precisa saber sobre eletrificação, automação e Digitalização.