O corona está mudando o mundo industrial

Klaus Helmrich, membro do Conselho de Administração da Siemens AG e CEO de Digital Industries, sobre como a digitalização e a automação estão ajudando a tornar a produção à prova de futuro.

A digitalização e automação da indústria estão se espalhando. E essa tendência ganhará mais força agora que as soluções digitais e automatizadas se mostraram especialmente eficazes na crise do corona. No futuro, essas tecnologias ajudarão a garantir que as empresas possam responder com muito mais rapidez e eficiência a situações de crise e mudanças nas demandas do mercado: Elas serão capazes de adaptar sua produção de maneira rápida e flexível a qualquer necessidade. As tecnologias necessárias para isso já estão disponíveis– como no Digital Enterprise da Siemens.

 

Praticamente da noite para o dia, o coronavírus literalmente paralisou a vida pública, a cultura e as economias em todo o mundo e impactou massivamente as atividades até hoje. Eventos e feiras foram cancelados e as empresas industriais tiveram que interromper a produção em muitos locais quando a demanda por vários bens e serviços secou ou as cadeias de suprimentos foram interrompidas. Em outros setores, a produção teve que ser rapidamente aumentada para atender à enorme demanda por produtos e dispositivos médicos urgentemente necessários.

Os efeitos de todos esses eventos estarão conosco por muito tempo, por muitos meses, se não anos. Nesta situação extraordinária, a sociedade, a política e os negócios precisam superar a pandemia e aliviar seu impacto sem precedentes. Em vista desse enorme desafio, tenho três perguntas específicas:

 

1.   O que exatamente as indústrias discreta e de processo podem fazer para apoiar a luta crítica contra o coronavírus?

 

2.   Como as indústrias necessárias podem continuar trabalhando, mesmo em tempos de crise?

 

3.   Como as empresas industriais podem reiniciar sua produção após o lockdown e garantir seu sucesso a longo prazo?

 

A resposta para as três perguntas: digitalização e automação. Os benefícios que elas oferecem à indústria de fabricação são especialmente óbvios em momentos como estes: Soluções automatizadas e digitalizadas estão possibilitando inovações tecnológicas usadas especificamente para aliviar os efeitos do vírus. Elas garantem que as indústrias relevantes para o sistema possam continuar operando mesmo sob condições altamente adversas. E elas tornam os processos de produção tão flexíveis, robustos e eficientes que as empresas podem ajustar rápida e eficientemente sua produção à demanda, durante e após a crise. Elas serão capazes de responder com flexibilidade a novos desafios a qualquer momento. Deixe-me ilustrar isso com alguns exemplos específicos.

Usando inovações tecnológicas na luta contra o vírus

Logo após a extensão e gravidade da pandemia de corona se tornarem óbvias em março de 2020, a Siemens Digital Industries abriu a Siemens Additive Manufacturing Network para hospitais e organizações de saúde. Essa plataforma digital reúne fornecedores e clientes no campo da fabricação aditiva ou 3D.

 

Desde que fizemos essa mudança, clínicas, médicos e outras pessoas puderam enviar solicitações urgentes de peças de reposição para dispositivos médicos a designers de impressão 3D, ajudando-os a superar rápida e facilmente os gargalos em suas cadeias de suprimentos. A rede está disponível em todo o mundo e abrange toda a cadeia de valor – da simulação e verificação de projetos à impressão e manutenção.

 

 

Com a Siemens Additive Manufacturing Network para hospitais e organizações de saúde, a Siemens reúne fornecedores e clientes no campo da fabricação 3D.

As tecnologias de automação altamente inovadoras, combinadas ao desenvolvimento de produtos digitalizados, tornam possível o desenvolvimento e o fornecimento rápidos de soluções personalizadas em situações médicas excepcionais, como a atual pandemia. Na China, por exemplo, nossos especialistas em automação de fabricação avançada ajudaram a desenvolver um robô de desinfecção inteligente em apenas uma semana usando nosso software de desenvolvimento NX e as ferramentas de engenharia do TIA Portal. Os robôs podem assumir a desinfecção de superfícies maiores em hospitais, em vez de humanos.

Quando a crise eclodiu, apresentou uma situação completamente nova, não apenas para instalações médicas e fabricantes de dispositivos médicos, mas também para todas as empresas de fabricação cujos colaboradores repentinamente tiveram que trabalhar de casa e não tinham mais acesso a muitas soluções digitais ou plataformas de automação.

 

Nossa solução para este desafio? Permitimos que nossos clientes trabalhem com soluções de software como nosso software de design e simulação NX em home office. Fornecemos a plataforma de desenvolvimento Mendix gratuitamente, para que os clientes possam desenvolver aplicativos de forma rápida e fácil sem um programador. Também é possível projetar uma instalação de produção em casa – usando a plataforma de automação do TIA Portal na nuvem. Também podemos monitorar máquinas e sistemas inteiros online e, se necessário, ajudar com os reparos remotamente.

Manutenção da produção industrial necessária

Durante a pandemia de corona, não apenas a produção de produtos e dispositivos médicos deve ser mantida, mas também o fornecimento de alimentos e produtos de higiene essenciais. Indústrias relevantes para o sistema, como alimentos e produtos farmacêuticos, devem ser capazes de fornecer e, quando necessário, aumentar rapidamente a produção para atender à crescente demanda.

 

Outros setores, como a indústria automotiva, tiveram que interromper a produção por semanas, quando a demanda caiu repentinamente. Ou eles precisavam reajustar sua produção para fornecer componentes urgentemente necessários para dispositivos médicos.

 

Tudo isso só é possível com fábricas altamente flexíveis e eficientes. Elas não só devem ser capazes de produzir produtos especiais em quantidades específicas em uma linha de produção, mas também lidar com várias séries em diferentes tamanhos de lote. Isso pode ser feito apenas quando toda a cadeia de valor estiver totalmente automatizada e digitalizada. As tecnologias para isso já estão disponíveis e são oferecidas, por exemplo, em nosso portfólio Digital Enterprise. Com a ajuda de ferramentas de simulação, os produtos e os processos de produção podem ser primeiro projetados e otimizados virtualmente como um gêmeo digital, antes que a produção real seja configurada e iniciada.

O produtor austríaco de alimentos Spitz mostra como isso funciona na prática: Em uma única fábrica, a empresa produz mais de um milhão de produtos em pequenos lotes em 30 linhas de processo diferentes – de água mineral a pão de forma. Com o pressionar de um botão, os operadores podem alternar de um produto para outro em uma determinada linha de produção. As matérias-primas e as embalagens do produto selecionado são selecionadas de forma totalmente automática. Os dados do pedido são vinculados diretamente ao processo em andamento, e os dados de produção e consumo são enviados automaticamente para o sistema de dados de nível superior da fábrica. Esse grau de flexibilidade nunca seria possível sem digitalização e automação avançadas.

 

Em momentos críticos como esses, quando os técnicos de serviço não estão disponíveis ou não podem trabalhar pessoalmente na instalação de um cliente, muitos serviços também podem ser mantidos graças a processos digitalizados e automatizados. Comissionamento, manutenção e reparos remotos de máquinas agora são possíveis em um mundo digitalizado. Nossos engenheiros de serviço podem acessar remotamente a máquina de um cliente, por exemplo, e alimentá-la com as mesmas instruções que receberiam ao ficar ao lado do próprio console.

Resposta flexível e eficiente a novos desafios

A capacidade de responder de forma flexível e eficiente às mudanças rápidas da demanda e a novos desafios será tão importante quanto, senão mais, quando a pandemia de corona for superada. A demanda por todos os tipos de bens crescerá inevitavelmente novamente. E as fábricas terão que poder aumentar rapidamente sua produção. Ao mesmo tempo, muitas empresas agora consideram formas de diversificar suas cadeias de suprimentos, tendo em vista os riscos impostos pelo comércio global e o desejo de produzir mais perto de seus mercados. Eles fabricarão então em quantidades menores em locais descentralizados.

 

Para atender a essas crescentes necessidades de flexibilidade, velocidade e produtividade – e para obter maior eficiência ambiental – a produção inteligente é uma obrigação. E isso, por sua vez, requer automação e digitalização. Juntamente com tecnologias de ponta, como inteligência artificial, computação de ponta e nuvem, fabricação aditiva ou 5G industrial, elas permitirão o próximo passo na flexibilidade – do desenvolvimento do produto à produção. Essa combinação de tecnologias dará às empresas industriais as ferramentas necessárias para dominar todas as demandas e desafios de hoje e de amanhã – durante a crise do corona e muito além.  

 

Maio de 2020

 

Visite o perfil de Klaus Helmrich no LinkedIn

Assine a nossa newsletter

Mantenha-se atualizado o tempo todo: tudo o que você precisa saber sobre eletrificação, automação e digitalização.