Quando a digitalização encontra a sustentabilidade

Sustentabilidade econômica, social e ambiental. Como a digitalização ampara o crescimento sustentável? Demos um sinal claro de que as empresas devem assumir a liderança na condução da descarbonização. Nosso objetivo persiste: todas as instalações de produção e edifícios da Siemens em todo o mundo devem alcançar uma pegada de carbono zero líquida até 2030.

Entenda a importância da sustentabilidade para as empresas

Quando você pensa em sustentabilidade, o que vem à sua mente? Reciclagem, economia de água e energia e coleta seletiva são algumas das respostas mais frequentes. Mas o conceito é mais abrangente do que isso. Ser sustentável é agir em prol da preservação do meio ambiente, suprindo as necessidades das gerações atuais, sem comprometer as que virão futuramente.

 

Quando uma empresa é sustentável, ela se comunica e age de maneira verdadeira e justa com a sociedade. Como numa via de mão dupla, a sustentabilidade não só deixa o mundo mais harmônico, como também traz uma série de benefícios para as empresas como maior envolvimento e produtividade da equipe, maior atratividade no mercado de trabalho, impacto positivo da imagem comercial da empresa perante a sociedade, redução de gastos e lucratividade.

Como a tecnologia pode impactar no meio ambiente

A tecnologia é uma grande aliada da sustentabilidade, pois possibilita a criação e aplicação de soluções sustentáveis para o cotidiano das empresas. Afinal, a verdadeira mudança começa com pequenas ações internas.

 

Mesmo assim, muitas empresas ainda não sabem por onde começar. Apesar da grande dimensão que o assunto carrega, é possível preservar o equilíbrio ambiental e social com pequenas mudanças. Em 2021, por exemplo, reforçamos a descarbonização em nossas operações ao aderir a três iniciativas voltadas à sustentabilidade que podem servir de inspiração para outros negócios. Ao integrar a iniciativa Science Based Targets (SBTi), e apoiar três ações lideradas pelo Climate Group nos comprometemos a:

 

  • Utilizar 100% de eletricidade renovável (RE100);
  • Melhorar nossa produtividade energética e, ao mesmo tempo, reduzir nossas emissões de carbono (EP100)
  • Ter 100% de veículos elétricos até 2030 (EV100). 

O processo de descarbonização e sua importância no movimento rumo à sustentabilidade

A emissão de CO2 na atmosfera, oriunda principalmente da queima de combustíveis fósseis, é apontada como uma das causas centrais do aquecimento global. Além de alterar a composição do ar ao redor do planeta, o gás carbônico liberado retêm calor nas camadas mais baixas da atmosfera, desequilibrando o clima e aumentando as médias de temperatura.

 

Mesmo em 2020, ano em que os níveis de poluição atmosférica registraram baixa por conta da queda de atividade econômica em todo o mundo, 34 bilhões de toneladas de CO2 foram liberados, segundo levantamento feito pelo Projeto Carbono Global e pelas Universidades de Exeter e de East Anglia, do Reino Unido.

 

De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas, as emissões globais de CO2 precisam cair, até 2030, cerca de 45% e chegar a zero até 2050 para que o mundo tenha a chance de manter o aquecimento controlado em 1,5 graus Celsius. Uma das maneiras de alcançar essa meta urgente para o mundo é apostar na descarbonização.

 

Em setembro de 2015, a Siemens se tornou uma das primeiras indústrias globais a anunciar a intenção de se tornar neutra em carbono em seus negócios operacionais até 2030. A meta intermediária para atingir essa finalidade foi cortar as emissões de CO2 pela metade até 2020, índice que foi ultrapassado em setembro do ano passado ao reduzir as emissões em 54%. O objetivo é alcançar uma cadeia de suprimentos sem emissões até 2050. Na operação brasileira, entretanto, o índice obtido foi ainda maior: 84% de redução até 2020. Além disso, no Brasil, a Siemens assumiu o compromisso de neutralizar as emissões até 2025, antecipando-se em cinco anos à meta estabelecida globalmente.

Mas como começar?

Uma dica: onde existir ameaça, deve existir planejamento.

 

Não conseguimos nossos índices de redução a custo zero. Pelo contrário, foram investidos 65 milhões de euros em projetos de eficiência energética para alcançarmos nossa meta globalmente.

 

Se estudos apontam que a demanda global por energia pode aumentar, concentre seus esforços na eficiência energética. Se a prioridade é consumo de energia limpa, busque as alternativas possíveis para sua empresa. Se, como diz nosso CEO global Roland Busch, 70% de todas as emissões virão das cidades, aposte em projetos e clientes que estejam dispostos a torná-las inteligentes.

 

Esse tem sido nosso esforço. O Brasil é o país com maior incidência de raios solares do mundo. Durante todo o ano, o País recebe mais de três mil horas de luz solar, segundo o Atlas Brasileiro de Energia Solar. Pensando nesse potencial de energia renovável, a Siemens adquiriu participação na Brasol Participações e Empreendimentos S.A, empresa de energia solar comercial e industrial. A aquisição é parte do projeto da companhia de investir em soluções de descarbonização para grandes consumidores de energia e digitalização do setor elétrico. Inclui-se neste cenário projetos como os de Aguaduna, em parceria com a espanhola Naurigas, rumo à construção de uma cidade inteligente no município de Entre Rios, na Bahia. Este, dentre muitos outros, são exemplos de projetos em que a Siemens indiretamente, por meio de seus clientes, também contribui para o desenvolvimento sustentável.

 

O nosso sistema de gestão e proteção ambiental consistente e inovador, é um componente integral dos nossos processos comerciais e supera os requisitos legais. Os impactos ambientais surgem não só na fase de produção, mas também nas fases de concepção, comercialização, uso, manutenção e eliminação.

 

Leia mais informações, projetos e como estamos em linha com as 17 ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, definidos pela ONU) aqui

Receba nossa Newsletter com as principais notícias.

Mantenha-se atualizado o tempo todo: tudo o que você precisa saber sobre eletrificação, automação e digitalização.