Sede da Siemens em Alfragide

Um importante passo rumo à descarbonização das instalações

Painel a painel a obra vai avançando - por vezes de forma mais célere, outras sujeita ao que a meteorologia permite – e, à medida que avança, os telhados de todos os edifícios da sede da Siemens em Alfragide, com mais de 30 anos, vão ganhando uma nova face. Quem visitava este campus já não lhe ficava indiferente, ora pela piscina que dá um colorido especial aos milhares de refeições que eram servidas na cantina, ora pelos dois moinhos do século XVIII que dão nome às instalações, ou até pelos jardins que pincelam praticamente toda a área de verde. Agora está a ganhar forma mais um motivo para tornar estas instalações especiais: uma central fotovoltaica com 1.426 painéis e uma capacidade de produção de energia de 987.631 kWh.

 

Esta unidade de produção para autoconsumo contribuirá para diminuir o impacto que as atividades da empresa têm no ambiente e para reduzir, significativamente, a pegada carbónica destas instalações, onde – num período anterior à pandemia – trabalhavam mais de 2.000 pessoas diariamente. Incrível como por vezes, o que não está à vista de todos, é o que faz verdadeiramente a diferença.

Assegurado 7% do consumo anual de energia

Esta central fotovoltaica, que ocupa uma área de mais de 3.000 m2, tem uma potência instalada de 613.18 kWp, e produzirá energia suficiente para satisfazer cerca de 7% do consumo anual do campus. Para além de permitir à Siemens poupar milhares de euros todos os anos em energia, contribuirá ainda para evitar a emissão de cerca de 465 toneladas de CO2.

A primeira etapa de uma intervenção mais abrangente

Esta central fotovoltaica faz parte de um projeto maior, que a Siemens tem em curso, e que ambiciona tornar o campus de Alfragide mais inteligente e resiliente do ponto de vista energético. Para além da central, já está a ser instalado um sistema de armazenamento de energia, está previsto o desenvolvimento de um digital twin, ou modelo digital, da rede elétrica e a instalação de um sistema de gestão da microrede. Assim que todas as etapas estejam concluídas e operacionais, será possível demonstrar, em ambiente real, tecnologias altamente inovadoras e aferir como estas melhor operam em conjunto. Os resultados obtidos poderão depois vir a ser replicados por empresas clientes e parceiras de diversos sectores de atividade.

 

Outras áreas em que a Siemens tem apostado, e que irão contribuir para diminuir as suas emissões de CO2, são a aquisição e consumo de energia de origem 100% renovável em todas as suas instalações e a renovação da frota que conta, atualmente, já com 10% de veículos elétricos ou Plug IN. Neste âmbito a empresa disponibiliza também, nas suas instalações, carregamento gratuito para os carros elétricos dos colaboradores.

 

Numa perspetiva mais global, estes são também alguns dos contributos que Portugal tem dado para o programa global de descarbonização da Siemens AG e que visa alcançar, até 2030, a neutralidade climática. Pode saber mais sobre este programa aqui.