Ser a mudança que queremos ver no mundo

Esta é uma frase popular, cliché até…Verdadeiramente digna de um revirar de olhos quando nos cruzamos com ela num post motivacional no Instagram. Mas pode também ser um modo de pensar e agir – e assim o é na Siemens. É um dos motes mais presente na empresa desde a sua fundação há 175 anos. Werner von Siemens dizia então:

O propósito de uma empresa deve ser o de servir a sociedade."

Assim foi. E assim continuará.
 

Chamamos-lhe ‘Business to Society’ – através do nosso negócio, contribuímos para a melhoria da qualidade de vida das comunidades em que operamos e criamos valor duradouro para a sociedade.
 

A política de Responsabilidade Corporativa da Siemens assenta em três vetores ligados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (o 4 – Educação de Qualidade, o 9 – Indústria, Inovação e Infraestruturas, e o 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis), sendo o voluntariado transversal a todos estes pilares.

Para conhecer um pouco mais sobre a política e, sobretudo, sobre a prática da Siemens nestes temas, estivemos à conversa com Paula Baixinho, a responsável pela gestão da Responsabilidade Corporativa da Siemens Portugal que está integrada na equipa de Comunicação a nível global.

- Em que áreas se foca a estratégia de Responsabilidade Corporativa da Siemens?

Paula Baixinho: Essencialmente em três áreas estratégicas: na promoção do acesso à educação, do acesso à tecnologia e no apoio às comunidades mais carenciadas.

 

Na promoção do Acesso à Educação, o nosso objetivo é tornar a educação acessível a todas as pessoas e despertar o entusiasmo em potenciais jovens cientistas e engenheiros para as áreas relevantes de aprendizagem como as STEM, o ensino dual e a sustentabilidade, fornecendo as ferramentas de que necessitam para enfrentar os desafios atuais e futuros. Já na área do Acesso à Tecnologia, o nosso foco está na partilha de conhecimentos em automação, digitalização, bem como infraestruturas inteligentes. Através da nossa tecnologia na área da saúde, na área ambiental, das nossas soluções digitais e da nossa investigação e desenvolvimento, queremos contribuir para dar acesso universal a soluções que transformam para melhor o dia a dia da sociedade. Por fim, na área do Apoio à Comunidade, é onde integramos, por exemplo, a nossa resposta de ‘emergência’, em contextos de catástrofes naturais ou emergência sanitária (como tem sido o caso da pandemia e ainda o nosso esforço por melhorar a qualidade de vida dos mais desfavorecidos, por exemplo através de donativos de bens de primeira necessidade).

 

Enquanto os dois anteriores, diria que são mais de longo prazo, este último, de apoio às comunidades, é o mais imediato e o que mais nos move enquanto empresa. Olhamos para todos eles de forma sustentada – não atuamos de forma isolada e imediatista, mas defendemos o empoderamento destas comunidades – o nosso investimento tem sempre como objetivo o seu desenvolvimento, a aquisição de competências, conhecimentos e ferramentas para poderem dar a melhor resposta aos seus desafios.

Hoje vivemos num ambiente seguro e protegido, mas há pessoas que não podem contar com qualquer apoio à sua volta, nem acesso a bens essenciais. E é aí que atuamos!”

- O voluntariado é uma parte essencial desta política. Como o promovem e com que resultados?

Paula Baixinho: É, sem dúvida! E é uma das áreas que mais gosto me dá! A Siemens oferece 16 horas por ano a cada colaborador para participar em ações de voluntariado – organizados pela empresa ou por terceiros. As nossas pessoas aderem muito. É incrível ver a energia e o espírito de equipa em torno das causas e projetos que apoiamos. As ações que têm mais participação são as ligadas à reflorestação ou limpeza de matas/praias, apoio aos sem abrigo, mas também partilha de conhecimento (mentoria, explicações, etc.). Nos últimos 5 anos, foram realizadas cerca de 15 mil horas de voluntariado! É um valor muito relevante para uma empresa como a nossa que, não tendo a vertente Fundação a nível local, tem, no entanto, um foco muito forte neste tema.

Exemplos de projetos realizados nos últimos tempos em cada uma das áreas foco:

Projeto EPIS – Empresários pela inclusão social

 

Apoio durante 3 anos a 6 bolsas de estudo de 6 alunos universitários nas áreas da TI e Gestão de Empresas.

Colaboração no programa de integração de jovens com incapacidades para estagiar na Siemens, assim como no programa de voluntariado para apoio escolar aos alunos do 1.º ao 3.º ciclo.

Educação na era digital

 

Doação de mais de 120 computadores portáteis e tablets recondicionados para as escolas da Amadora, Perafita e Seixal, assim como as instituições Médicos do Mundo, Cruz Vermelha, Associação Salvador e Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica e Tráfico de Pessoas, durante o ano de 2020-2021.

Donativo de ecógrafos ao SNS

 

A Siemens Portugal doou dois equipamentos de ecografia pulmonar e cardíaca ao Serviço Nacional de Saúde (SNS). Estes equipamentos permitem acompanhar o estado de saúde dos pacientes numa fase pós-COVID, garantindo a continuidade dos seus cuidados e a sua recuperação.

Emergência Alimentar

 

A Siemens doou refeições diárias durante vários meses para mais de 400 famílias na zona de Lisboa, Amadora e Seixal. Instituições como a Santa Casa da Misericórdia da Amadora, a Partilha, a Refood e os Centros Sociais de Corroios e Arrentela receberam apoio para a emergência alimentar. Também instituições como o Instituto de Apoio à Criança e a Associação Renascer foram beneficiados com cabazes de comida nos picos da pandemia.

115 anos em Portugal – Apoiar 1 criança por cada ano de história da empresa no país

 

Apoio a 115 crianças, em cuidados continuados e/ou paliativos (1 criança por cada ano da Siemens em Portugal), e respetivas famílias, durante um ano, através de um donativo à Fundação do Gil para o projeto “Cuidados Domiciliários Pediátricos”.

UBBU: Aprende a Programar

 

Com o intuito de ensinar as ciências de computação a crianças entre os 6 e os 12 anos a Siemens abraçou o projeto UBBU – Aprender a Programar. Até ao dia de hoje já foram doados 272 computadores para a criação de novas salas de informática. Mais de 5 000 alunos e 200 professores serão impactados em 6 agrupamentos de escolas no País.

Donativo Caring Hands e Colaboradores Siemens Portugal

 

Para ajudar a contenção da pandemia no Concelho da Amadora,  foram doados 3.840 testes rápidos que permitiram um auxílio no diagnóstico da COVID-19. Os testes foram utilizados para identificar rapidamente casos positivos nas 17 Estruturas Residenciais para Idosos e nos 12 Agrupamentos de Escolas do Município da Amadora.

- Enquanto empresa que retorno esperam com estas iniciativas?

Paula Baixinho: Ainda que não sejam organizadas com esse intuito, todas estas ações de responsabilidade corporativa têm algum retorno positivo para a empresa. A nível corporativo, ao ajudar a comunidade com, por exemplo, a oferta de computadores às escolas, através da nossa parceria com a UBBU – Academia de Código (sendo este mais um projeto a destacar na nossa atividade), estamos a dar ferramentas para que os jovens possam vir a ser nossos colaboradores, caso escolham seguir uma carreira nas áreas em que operamos. Outro exemplo de um “investimento” cujos resultados veremos a longo prazo é a plantação de árvores, que irá demorar vários anos a dar “frutos”. A Siemens teve sempre atividades na zona de Leiria, mas após os incêndios de 2017 temo-lo feito de forma continuada, com o sentido de reerguer uma das zonas florestais mais importantes para o País.

 

A nível pessoal, as vantagens deste tipo de ações e o impacto nas nossas pessoas são bastante óbvios – algumas destas atividades implicam trabalho em equipa, o que é essencial em qualquer empresa. Criando um bom ambiente entre os colaboradores, estes têm mais motivação para realizar um trabalho com qualidade. Numa altura como a que vivemos atualmente, em que estamos mais distantes uns dos outros, temos a oportunidade de retribuir à comunidade com gestos que nos podem parecer simbólicos ou insignificantes, mas que fazem toda a diferença. Ver melhorias nas comunidades apoiadas motiva-nos a continuarmos com este trabalho, dando-nos um sentido de propósito. Pessoalmente, emociono-me sempre bastante quando recebemos agradecimentos como o que nos enviaram por estes dias, na sequência da oferta dos cabazes de Natal na área de Matosinhos (onde temos as nossas instalações na Região Norte). Fazer a diferença na vida destas pessoas enche-me o coração.

Resultados

Desde 2018 que os valores das doações, de parcerias e de participantes têm aumentado significativamente. Os anos de 2020 e 2021 são exceção a essa clara tendência de crescimento, já que a pandemia que enfrentamos impediu que várias das ações que costumamos organizar se realizassem. Ainda assim, são anos com resultados consideráveis, com uma aposta maior no apoio à comunidade com donativos muito expressivos.

 

Nos últimos 5 anos, foram realizadas cerca de 15 mil horas de voluntariado, plantadas mais de 57 mil árvores e doados mais de 280 mil Euros.

E porque a nossa missão nunca está terminada, já temos algumas ações planeadas para o próximo ano! Desde plantação de árvores, apoio a jovens universitários, e parcerias com escolas e organizações para a promoção da literacia digital, 2022 promete ser um ano repleto de momentos de entreajuda e retribuição à comunidade – sempre com a construção de um futuro melhor em mente.

 

Saiba mais sobre o Empowering People– o compromisso empresarial  voluntário da Siemens a nível Global (Responsabilidade Corporativa).